"A Musa dos versos diários"

18/02/2013 23:03

 

 

Menina abonecada cujo olhar é pôr-do-sol

Fisgou o romantismo rouxinol de um certo poemista

Sua receita um tanto mista, rasgou seu peito artista qual feroz anzol

Depositadas lágrimas em crisol, temor acarinhado sob lençol alienista!

 

E o substrato do arado desse amante é fruto afeiçoado por ela

Tão absurdamente bela, que induziu ao voejar seus pretenderes

E viu-se o invasor dos seres, profanado em suas íntimas vielas

Como se centenas de Heras, por meio dela, lhe fomentassem quereres!

 

De seu profuso seduzir fugia uma fera inocente

Dilacerando o instinto reticente do trovador inebriado

Agora enclausurado, escravizado nesses lábios de corrente

Homem saudavelmente doente, completamente apaixonado!

 

Boneca de carne com alma de veludo, fez o decantador transfigurar

Não pode ele estancar seu caudaloso rio de poesia

Jamais ofenderia tal coração cuja doçura lhe é manjar

Pretende reiterar tamanho amar, compondo versos dia-após-dia!

 
 
 

 

CLIQUE AQUI

Para ler esse Poema no Recanto das Letras


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!