"A Resposta"

06/01/2013 14:09

 

 

Quando todas as portas da vida se mostrarem fechadas

E as respostas achadas não trouxerem sentido aos vazios

E fugirem os alívios no ardor das emoções dilaceradas

Sendo as forças sugadas para o fundo dos precipícios!

 

Quando a horda dos ditos amigos for inútil ou mesmo fingida

E a injustiça da vida resolver esmagar a semente da fé

Quando as ondas revoltadas da maré arrastarem a energia da lida

Quando a angústia convida a esperança a passear em marcha-a-ré!

 

Quando a perda for tanta e o pranto rolar em sangria

E a noite reinar sobre o dia no inverno eterno da alma

Desamparo a julgar que mais nada se salva, tempestade a rondar cercania

Quando o pão for feito de agonia e a sede por paz virar trauma!

 

Haja em ti a certeza de que sempre haverá um oposto pra tudo

Toda lança pode esbarrar num escudo, toda treva é menor que a luz

Mesmo a dor para algo conduz, há uma porta em meio ao sintoma agudo

Se o mundo é espinho, o céu é veludo – basta crer no Cristo da Cruz!

 
 
 

 

CLIQUE AQUI

Para ler esse Poema no Recanto das Letras


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!