Adorador ou frequentador? Com a palavra: Neemias.

20/01/2015 03:36

 

 

“Deus é Espírito, e importa que os que o adoram

o adorem em espírito e em verdade.”

(João 4:23-24)

 

Cada vez mais as pessoas perdem o interesse de frequentar uma igreja (denominação). Perguntamos: O que está acontecendo para justificar essa falta de interesse? Púlpitos frios, congregação gelada? Ou púlpitos tresloucados e congregação esquizofrênica? Sinceramente, penso que sejam as duas coisas.

 

Perdeu-se a noção do que se faz em uma igreja. Para alguns uma espécie de clube aristocrático, para outros uma opção eventualmente válida e para alguns um verdadeiro circo, um palanque de profanações ou mesmo um manicômio de heresias que se atropelam. Mas e quanto a você, o que vai fazer na igreja?

 

Quem nunca foi à igreja porque não tinha algo “melhor” para fazer no domingo a noite, ou apenas porque estava na escala de alguma apresentação, ou porque se não fosse o que iriam os demais pensar a seu respeito? Enfim, infelizmente, estamos perdendo o maior sentido de ir à Casa de Deus: “Adoração”.

 

Quase sempre chegamos atrasados, porque retardamos o momento certo de nos prepararmos ou porque dedicamos horas no trato com a aparência e na escolha da roupa que nos deixará egocentricamente satisfeitos e depois temos muita pressa para que o trabalho acabe logo, pois afinal de contas precisamos assistir pelo menos o final do programa favorito de TV.

 

Não obstante, pecamos pela falta de reverência no momento que separamos para cultuarmos a Deus. Conversamos enquanto o pregador entrega a mensagem, mascamos chicletes, doces, usamos o celular e suas tecnologias acessórias… Nem cultuamos, nem permitimos os que estão próximos a nós cultuar, pois nossas conversas atrapalham até mesmo o culto alheio. Quando agimos assim estamos relacionados no grupo daqueles que vão à igreja apenas assistir o que acontece por lá.

 

Qual a diferença entre assistir a um culto e cultuar a Deus?

 

A palavra assistir nos dá uma conotação de ausência de atuação, é como ir ao cinema ou ao teatro. Ficamos assentados, impassíveis, sonolentos, dispersos, com o corpo na igreja e a mente na rua, olhando de forma perdida quem está atuando, mas não nos envolvemos. Cultuar é algo profundamente diferente, pois quando cultuamos estamos envoltos em perfeita comunhão com Deus através do sagrado ambiente interior de adoração. Cultuar é mais que esquecer a vida lá fora; é experimentar a verdadeira vida, que se nutre e se robustece na presença de Deus.

 

Embora saibamos que adoração é algo individual e voluntário, não há uma regra, nem uma normativa para dizer como, onde ou de que jeito devemos adorar, mas podemos enfatizar que aquele que de fato vai ao templo prestar um culto ao seu Deus, tal indivíduo age com reverência, com o desfrute feliz por tão magnífica oportunidade, agindo em espirito e em verdade.

 

Também não podemos esquecer que Adoração não se restringe ao lugar de culto somente, não está circunscrita apenas aos limites de um templo, mas excede às quatros paredes da igreja. A vida do adorador é continua e permanente; onde ele estiver, estará em espírito e em verdade diante de seu Deus.

 

O que podemos aprender com Neemias 8:1-6?

 

Nos seis primeiros versículos desse capítulo, temos 5 atitudes que devemos manifestar no momento do culto, vejamos:

 

“E chegado o sétimo mês, e estando os filhos de Israel nas suas cidades, todo o povo se ajuntou como um só homem.” (Neemias 8:1)

 

1ª Atitude: “Desejo de querer ouvir a palavra de Deus”.  

 

A atitude de Israel quando todos se reuniram em Jerusalém para o culto de adoração, foi o desejo de querer ouvir a Palavra de Deus. Nossa atitude de irmos ao templo deve está voltada para ardente desejo de ouvirmos a Palavra de Deus. Igreja não é lugar de shows, igreja não é lugar de danças, igreja não é vitrine de talentos – igreja é lugar de adoração e dos rios de água viva que transbordam na Palavra.

 

2ª Atitude: “União”.

 

Aqueles que se reuniram em Jerusalém para o culto de adoração, estavam em unidade. O texto diz que todos estavam como “um só homem”. Todos nós devemos estar em união, em um mesmo propósito, com um mesmo objetivo. Não podemos ter entre nós partidarismo. Num momento tão delicado de nossa história, em que vemos a heresia estapeando a sã doutrina e o culto à placa denominacional tão recrudescido, devemos nos reorientar pela unidade cristã, sem a qual Deus não opera.

 

3ª Atitude: “estar atentos”. 

 

“…e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao livro da lei”. (Neemias 8:3b).

 

Nada distraía aqueles adoradores em Jerusalém. Eles estavam atentos diante da Palavra que era lida. Crentes que deturpam a reverência na Casa de Deus, cometem um pecado maior do que presumem.

 

4ª Atitude: “Não ter pressa de acabar o culto”. 

 

“E leu no livro diante da praça, que está diante da porta das águas, desde a alva até ao meio-dia, perante homens e mulheres, e os que podiam entender; e os ouvidos de todo o povo estavam atentos ao livro da lei”. (Neemias 8:3)

 

Todos que estavam reunidos naquela ocasião em Jerusalém não tinham pressa alguma de que o culto ao Deus de Abraão acabasse. Aquela adoração durou 7 horas com todos adorando e louvando a Deus. Esse é um sentimento comum no coração de quem ama estar na presença do Senhor.

 

5ª Atitude: “Reverência do culto”.  

 

“E Esdras abriu o livro perante a vista de todo o povo; porque estava acima de todo o povo; e, abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé.” (Neemias 8:5)

 

Todo povo se pôs em pé, o que traduzimos como um gesto de reverência diante da Palavra de Deus. Qual é a sua postura diante da leitura e da explanação da Palavra de Deus? Por onde andam o seu olhar e os seus pensamentos nessa ocasião? A falta de reverência dentro da igreja é um sinal marcante do péssimo nível de fé e de sinceridade em que se encontram aqueles que assim procedem.

 

Quando estamos no templo e há em nós o desejo de ouvir a Palavra de Deus, quando existe em nosso meio uma sincera unidade, quando nada nos distrai, quando não temos pressa que o culto acabe e permanecemos em reverência, com certeza estamos adorando ao Senhor e prestando-lhe um culto à altura. Dessa forma nos revelamos verdadeiros adoradores, pois transcendemos a condição de frequentadores de igreja e alcançamos o patamar daqueles que O adoram em Espírito e em Verdade.

 

Que nosso Senhor Jesus Cristo nos ajude a sermos permanentemente assim. Amém.

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!