Aos inimigos do conhecimento

18/10/2014 01:47

 

 

"O temor do Senhor é o princípio do conhecimento;

os loucos desprezam a sabedoria e a instrução"

(Provérbios 1:7)

 

Lamentavelmente, a oposição ao conhecimento não é um fenômeno moderno. Desde que o homem primitivo sentiu o nefasto sabor do poder, ele percebeu que a falta de conhecimento é uma arma sensivelmente eficaz para se subjugar o próximo. 

Ao longo da história foram incontáveis os exemplos. Durante a Idade Média, a dominação totalitária do catolicismo romano impunha uma mordaça em toda forma de conhecimento e arte e nem mesmo a Bíblia era acessível aos cristãos. Jamais houve tamanha estagnação intelectual como a que foi vista nesse contexto, onde apesar da possibilidade evolutiva da mente humana, esta era mantida sob as clausuras do fundamentalismo mal intencionado. Não é a toa que esse período ficou conhecido como a Idade das Trevas. 

O movimento contra-reformista que sucedeu o rompimento desse modelo protagonizou igual e irracional determinação por parte da igreja, que de forma cruel, sangrenta e maligna pretendia sufocar toda e qualquer forma de esclarecimento que pusesse em risco suas ambições, ganâncias e poder. Graças a Deus, porém, nada disso prevaleceu. 

Com o passar dos séculos, a derrocada do imperialismo romano não foi suficiente para curar o homem de suas insanidades totalitárias. Inúmeras ditaduras brotaram ao redor do mundo ao longo das épocas – todas determinadas a silenciar com ódio qualquer forma de conhecimento que soasse opositor. 

De uma certa forma isso é compreensível, pois o conhecimento é a maior arma libertária do universo. Nenhum prisioneiro é mais desafortunado do que aquele que vive sob as grades da ignorância. 

Essa é a óbvia razão porque os governos modernos relutam em investir maciçamente em educação e, como no caso do Brasil, investem milhões num falso e ilusório conceito de cultura, que mantém o cidadão afogado em festas destrutivas, enquanto sua panela permanece vazia e seus filhos submetidos a uma caricatura do que seja escola de qualidade. Prova disso é que os investimentos na escola pública, qualificando e pagando melhor os educadores, ofertando ambientes estruturados para os alunos, são sempre inferiores aos que se destinam ao carnaval, por exemplo. Ainda que não quantitativamente, em termos reais é assim que ocorre, pois as verbas educacionais desviam-se pelas artérias da corrupção, enquanto as chamadas “verbas culturais” chegam ao seu destino e promovem um espetáculo de entorpecimento e alucinação em todo território nacional. Isso se dá nas três esferas do poder e sempre com o uso da mídia. Povo festeiro, povo enganado, povo escravizado – esse é o legado da ignorância. 

Em termos religiosos a coisa não é muito diferente. Manter os fiéis nas trevas do desconhecimento é a melhor forma de torná-los presas fáceis das heresias teológicas e materialistas. Não posso enganar facilmente uma pessoa esclarecida, mas em poucos minutos eu consigo levar o inculto a proceder e crer segundo meu hábil poder retórico de manipulação. 

E assim vão surgindo e se multiplicando as técnicas de autossugestão, que ensandecem milhões de pessoas, distanciando-as de Deus, embora paradoxalmente o façam em nome dEle. 

No livro do profeta Oséias 4:6 está escrito: “O meu povo está morrendo por falta de conhecimento.” Não importa se este mesmo povo está lotado de festas e de crenças. Desprovido de conhecimento, ele “morrerá”. 

Morrerá de fome intelectual, de fome cidadã, de fome da dignidade humana em seus mais amplos sentidos. Morrerá espiritualmente, tornando-se um produto em meio ao mercantilismo religioso, uma marionete que se vincula às habilidades diabólicas de um líder preparado para tal e uma criatura sem cérebro, ainda que biologicamente viva. 

Em Romanos 12:2 está escrito: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus"  

Não se deixe assimilar, não venda sua alma, não comercialize seu voto, não troque sua fé por promessas. Deus não é um mercador, a igreja não é uma feira e a vida não é um acampamento às escuras. 

Lute por sua cidadania, proteste contra os desmandos, negue-se à alienação da mídia. Desligue a TV e abra um livro. Fuja dos sistemas impostos pelo mundo e leia a Bíblia. 

E por falar em Bíblia, lembre-se que Suas linhas são perfeitas e eternas, mas a manipulação de uma pessoa mal intencionada pode torná-la um instrumento perigoso para a destruição espiritual de todo desatento. 

Busque o conhecimento sempre, examine, estude, discorde, debata e você não será presa fácil para o governo do mal e para a falsa fé.

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!