CRÍTICAS E ELOGIOS. RESPONDENDO AO LEITOR.

22/04/2015 01:13

 

 

Timoteo Abranchez – Niteroi (RJ)

 

Meu caro Pr. Reinaldo Ribeiro, pode parecer que não mas sou um seguidor de suas publicações. Inegavelmente são mui bem escritas. Você é um intelectual digno de aplausos e nesse mundo deveria estar em posição mais destacada, pois vejo muita gente fraca em evidência enquanto sábios como você ficam nas sombras. Mas nem tudo é perfeito e você também não é. Acho que sua aparência de humildade não passa de complexo inferior e talvez isso explique porque você ataca pregadores famosos como o apóstolo Renê Terranova e recentemente até mesmo o Pr. Cláudio Duarte num de seus textos. Acho que lhe falta um pouco mais de ambição meu irmão. O sucesso que tanto incomoda você também lhe cairia bem, pois você tem talento. Mas acho que você é pequeno demais pra desejar ser igual aos grandes. Essa é minha opinião a seu respeito.

 

Resposta

 

Meu caro amigo e irmão em Jesus Cristo, paz e graça!


Deu-me muita satisfação ver sua mensagem e seu desabafo, que me parece ter sido sincero. Espero, entretanto, que você não leve a mau o que vou dizer a respeito do presente assunto, o que é fruto de uma experiência razoavelmente longa aos pés de Cristo. 


O orgulho é o maior de todos os males que nos afligem, e de todos os nossos inimigos, não apenas é o mais difícil de morrer, como também o que tem a morte mais lenta; mesmo os filhos deste mundo são capazes de discernir isto. Deus abomina o orgulho mais do que qualquer coisa, pois o orgulho dá ao homem o lugar que pertence a Deus, que está acima de tudo. 


O orgulho interrompe a comunhão com Deus, e atrai Sua repreensão pois 'Deus resiste aos soberbos' (I Pd. 5:5). Ele irá destruir o nome do soberbo, pois nos é dito que 'a altivez do homem será humilhada, e a altivez dos varões se abaterá, e só o Senhor será exaltado naquele dia' (Is. 2:17). Como você mesmo irá sentir, meu caro amigo, estou certo de que não há maior mal que uma pessoa possa fazer a outra do que louvá-la e alimentar seu orgulho. 'O homem que lisonjeia a seu próximo, arma uma rede aos seus passos' (Pv. 29:5) e 'a boca lisonjeira obra a ruína' (Pv.26:28). Você pode estar certo, além do mais, que nossa vista é muito curta para sermos capazes de julgar o grau de piedade de nosso irmão; não somos capazes de julgar corretamente sem a balança do santuário, e ela está nas mãos daquEle que sonda o coração. Não julgue nada antes do tempo, até que o Senhor venha, e torne manifesto os conselhos do coração, e renda a cada um o devido louvor. Até então, não julguemos nossos irmãos, seja para bem seja para mal, senão com a moderação que convém, e lembremo-nos que o melhor e mais certo juízo é aquele que temos de nós mesmos quando consideramos aos outros melhores do que nós. 


Se eu fosse lhe perguntar como sabe que eu sou 'um intelectual digno de aplausos', sem dúvida você iria ficar sem saber o que responder. Talvez você viesse a mencionar minhas obras publicadas; mas será que você não sabe, querido amigo e irmão – que você pode pregar um sermão edificante tanto quanto eu -- que os olhos veem mais do que os pés alcançam? E que, infelizmente, nem sempre somos o que são os nossos sermões? 'Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós' (II Co. 4:7).

 

Não lhe direi a opinião que tenho de mim mesmo, pois se o fizer, é provável que enquanto o faça procure minha própria glória, e, enquanto estiver buscando minha própria glória, possa parecer humilde, o que não sou. Prefiro dizer-lhe o que o nosso Mestre pensa de mim -- Ele que sonda o coração e fala a verdade, que é 'o Amém e a fiel Testemunha', e que tem falado frequentemente no mais íntimo do meu ser, pelo que agradeço a Ele. Creia-me, Ele nunca me disse que sou um 'intelectual digno de aplausos.' 


Ao contrário, Ele me diz bem claramente que se eu procurasse o meu próprio lugar, iria encontrá-lo como sendo o do maior dos pecadores, pelo menos dentre os que são santificados.


E devo dar mais crédito ao julgamento que Ele faz de mim, meu caro amigo, do que aquilo que você pensa a meu respeito. 


O mais eminente Cristão é um daqueles de quem nunca se ouviu falar, algum pobre trabalhador ou servo, para quem Cristo é tudo, e que faz tudo para ser visto por Ele, e somente por Ele. O primeiro deve ser o último. Fiquemos convencidos, meu caro amigo, de louvar somente o Senhor. Só Ele é digno de ser louvado, reverenciado, e adorado. A Sua bondade nunca é demasiadamente celebrada. O cântico dos abençoados (Apocalipse 5) não louva a ninguém senão Àquele que os redimiu com o Seu sangue. Não há no cântico uma única palavra de louvor a qualquer dos redimidos -- nenhuma palavra que diga que são eminentes, ou que não são eminentes -- todas as distinções estão perdidas no título comum, 'os redimidos', que expressa a alegria e glória de todo o Corpo. 


Empenhemo-nos em trazer nossos corações em uníssono com aquele cântico, ao qual todos esperamos que nossas débeis vozes venham se unir. Esta será a razão da nossa alegria, mesmo enquanto estivermos aqui, e contribuirá para a glória de Deus, a qual é lesada pelo louvor que os Cristãos frequentemente prestam uns aos outros. Não podemos ter duas bocas -- uma para louvar a Deus e outra para louvar o homem. Possamos, então, conhecer o que os serafins fazem (Isaías 6:2,3), quando com duas asas cobrem suas faces, como um sinal de sua confusão diante da sagrada presença do Senhor; com outras duas asas cobrem seus pés, como se tentassem esconder de si mesmos os seus próprios passos; e com as duas asas restantes voam para executar a vontade do Senhor, enquanto proclamam, 'Santo, santo, santo é o Senhor dos exércitos: toda a terra está cheia da Sua glória'.


Perdoe-me por estas poucas linhas de exortação Cristã, as quais tenho certeza, irão, cedo ou tarde, se tornar úteis para você, passando a fazer parte da sua própria experiência. Permita-me enfatizar aqui dois pontos: Primeiro, que jamais ataquei as pessoas citadas por você, ainda que declare reiteradamente minha pública discordância daquilo que ambos pregam e praticam. Vou orar a Deus para que este equívoco se desfaça de seus julgamentos a meu respeito. Mas se isso não for possível, sofrerei o dano sem o prejuízo do amor e do respeito que devo tanto a eles como a você. E segundo, que seus elogios me incomodaram muito mais que suas críticas, pois tenho muito mais preocupação em entregar a Deus aquilo que não me pertence do que de me advogar em relação aos erros que alguns pensam detectar em mim.

 

Lembre-se de mim em suas orações, enquanto rogo para que a bênção do Senhor possa pousar sobre você e sua família. Se você porventura vier a me seguir em alguma outra de minhas postagens - como espero que aconteça - por gentileza, exclua todos os elogios que me conferiu; e me chame simplesmente de “um irmão e ministro no Senhor”. Isto já é honra bastante, maior até do que mereço, e não preciso de mais!

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!