Identificando e caracterizando a verdadeira família de Deus

31/05/2013 01:30

 

“Mas, se andarmos na luz, como Ele na luz está,

temos comunhão uns com os outros,

e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho,

nos purifica de todo o pecado.”

(I João 1:7)

 

Os problemas de relacionamento são constantes entre os seres humanos, infelizmente até entre os que nasceram de novo, no convívio entre irmãos que participam de uma mesma comunidade cristã, que fazem parte de uma mesma igreja. A maior causa dessas discórdias entre nós surge da nossa própria natureza carnal, sendo decorrentes das obras da carne que por vezes buscam se manifestar em nós, tais como: inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, invejas, vaidades etc. Sentimentos e atitudes que precisam ser mortificados em nós.

 

O Apóstolo João, no entanto, pelo Espírito Santo nos dá uma receita tremendamente simples para conseguirmos andar em comunhão uns com os outros. Só há uma condição que devemos cumprir para conseguirmos essa virtude: basta “andarmos na luz” assim como na luz o nosso Deus está.

 

Andar na luz significa praticar atitudes que agradam a Deus, que podem ser vistas por todos, e que todos fazem questão de nunca  esconder: “Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, e não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas. Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus.” (João 3:20-21).

 

Aquele que acredita que está na luz, e professa isso, deve estar certo de que não odeia o seu irmão, pois se odeia, na verdade está em trevas. Já aquele que demonstra amor pelo seu irmão, prova dessa maneira que está na luz: “Aquele que diz que está na luz, e odeia a seu irmão, até agora está em trevas. Aquele que ama a seu irmão está na luz, e nele não há escândalo.” (I João 2:9-10).

 

Aquele que odeia o seu irmão é como alguém que segue sem rumo, que não consegue saber para onde vai, pois anda em trevas que não lhe permitem enxergar o caminho: “Mas aquele que odeia a seu irmão está em trevas, e anda em trevas, e não sabe para onde deva ir; porque as trevas lhe cegaram os olhos.” (I João 2:11).

 

Quando eu verdadeiramente me esforço para cumprir esta condição que Deus requer de mim para que eu consiga andar em comunhão com os meus irmãos, posso ter a certeza de que estou caminhando na Sua luz. Além de atingir este primeiro objetivo, eu ainda alcanço, por conseguinte, outro que é de vital importância, a purificação dos meus pecados: “e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”.

 

Renunciando todo espírito de inveja e competições, jamais prestando minha língua para agredir ou mal dizer meu próximo e enxergando minha relação familiar espiritual muito além das ridículas e pecaminosas fronteiras impostas pelas placas denominacionais, verdadeiramente estarei a caminhar na luz do meu Senhor, mantendo plena comunhão com meus irmãos e obtendo a purificação dos meus pecados.

 

E, por fim, jamais esqueça: a igreja verdadeira não é a sua. A igreja verdadeira não é a minha. A Igreja verdadeira somos nós, desde que de fato nos amemos e sirvamos ao Senhor Jesus!

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!