IGREJA: LUGAR DE SALVAÇÃO E NÃO DE EVENTOS

21/04/2015 00:29

 

 

"O Senhor Deus está em seu santo templo; diante Dele

fique em silêncio toda a terra."

   (Habacuque 2:20)

 

Bons tempos aqueles em que a reverência permeava o culto cristão do início ao fim. Hoje vivemos dias em que essa prática caiu em desuso e no presente contexto do modismo litúrgico, a palavra de ordem agora é entretenimento.

 

Sei que o entretenimento está tão enraizado na cultura evangélica atual, que parecerá um absurdo a tese que defendo. Mas, além de não estar sozinho na luta contra o "culto show", estou ainda muito bem acompanhado, por pastores renomados, como Charles Haddon Spurgeon, que no século XIX já havia escrito sobre este perigo, alertando que o fermento diabólico do entretenimento acabaria levedando toda a massa em curto espaço de tempo. E é neste estado de lastimável fermentação que se encontra a massa evangélica atual.


Hoje em dia é quase impossível que uma igreja não tenha artistas musicais, grupos de coreografia ou eventos cuidadosamente planejados para entreter os cristãos e tornar a igreja mais “atrativa” que as alternativas do mundo. Na maioria das igrejas o período de culto é tomado deste tipo de apresentações, com a desculpa de que "é pra Jesus". Mas, quando analisamos racionalmente, e a luz das Escrituras, a verdade é que tais apresentações não passam de entretenimento, com verniz de santidade e capa de religiosidade.


Mas, vejamos porque o entretenimento deve ser eliminado dos cultos que realizamos ao Senhor:
 

Não existe base bíblica para a prática do entretenimento no culto

 

Esta já seria uma razão suficiente, que dispensaria os demais argumentos. O problema é que raramente se encontra hoje uma igreja que queira ser bíblica, composta por membros que só desejem cumprir a vontade de Deus, expressa em sua Palavra. Assim sendo, talvez sejam necessários ainda os argumentos posteriores.

 

Ovelhas sinceras não são alcançadas por métodos humanos

 

Chamemos de ovelhas aqueles que realmente amam a Jesus, que reconhecem a voz do Senhor e o seguem (Jo 10:27). No entanto, a divulgação de apresentações na igreja dificilmente atrairá pessoas interessadas em Deus. Certamente será um atrativo para as que gostam de uma distração gratuita e de religiosidade festiva. Normalmente tais eventos lotam as igrejas de pessoas que nunca entenderem que servir a Cristo envolve renúncias e mudança de vida. Podemos realmente chamar estas pessoas de ovelhas, ou não há uma grande chance de serem bodes? (Mt 25:32-33).

 

Cristãos renascidos não se agradam do entretenimento no culto

 

As verdadeiras ovelhas não se satisfazem com apresentações durante o culto. Elas querem oração e palavra, edificação e unção. Uma ovelha de Cristo não procura emoções, mas a Verdade, para que se mantenha firme no caminho da vida eterna (Jo 6:67). Quanto mais o pastor encher o culto com apresentações humanas e vazias, mais rápido as ovelhas sairão em busca de uma verdadeira igreja, que priorize a oração e a Palavra de Deus. Aos poucos, a "igreja-palco" deixará de ter ovelhas para estar ainda mais cheia, porém de bodes, que gostam de uma boa distração. E, infelizmente, o que muitos pastores buscam hoje é quantidade, o crescimento numérico e financeiro a qualquer custo. E, com este fermento, a massa realmente cresce (ou seria incha?)...

 

O entretenimento rouba o tempo da pregação e da oração

 

O tempo de culto já é muito limitado, chegando a no máximo duas horas. Quando se dá oportunidade para apresentações humanas, o tempo que deveria ser usado para se fazer orações e se pregar a palavra de Deus torna-se curtíssimo. Em algumas igrejas não chega nem a trinta minutos! Como desenvolver uma mensagem expositiva em tão curto espaço de tempo?
 

Os visitantes ficam confusos numa igreja que adota entretenimentos


Os visitantes concluem que a igreja existe em função de apresentações que tornem o culto um show. Assim, eles passam a frequentar os cultos com esta expectativa, esperando pelo próximo espetáculo.·.

 

A igreja é iludida pelos entretenimentos

 

Os membros pensam que estão servindo a Deus com suas apresentações. Desta forma, sua consciência fica cauterizada para atender aos chamados para a escola bíblica, para o evangelismo e para socorrer os carentes. Afinal de contas, ele pensa que seu chamado é para as artes, e não para serviços que não lhe colocam debaixo dos holofotes (que, aliás, são muito comuns nas igrejas hoje em dia).

 

O entretenimento destaca os carnais

 

Pessoas que raramente aparecem nos cultos de oração e estudo bíblico, e que nunca comparecem ao evangelismo, geralmente são as mesmas que gostam de aparecer cantando, dançando ou representando nos cultos mais cheios. A questão é: Por que dar destaque justamente para estes membros carnais? E o que dizer dos mega astros gospel da atualidade, que praticamente nem se congregam mais devido aos muitos shows que realizam por todo país? Culpa de pastores e líderes que “contratam” estes “profissionais” do entretenimento religioso ao invés de oferecerem oportunidade a filhos e filhas de Deus, sinceros e ungidos que já estão dentro da própria congregação. Pastores promotores de eventos certamente terão seu quinhão de débitos junto ao Senhor para prestar contas.

 

O entretenimento gera disputas na igreja

 

Disputas entre membros, entre conjuntos e até entre igrejas. Quem canta melhor? Quem dança melhor? Que conjunto tem o uniforme mais bonito? Quem recebeu mais oportunidade? Quanta medíocre carnalidade... (1 Co 3:3; Tg 4:1).

 

O entretenimento aguça e alimenta o ego

 

O entretenimento não gera fé, mas fortalece o ego dos que amam os aplausos e elogios. Apesar de sua roupagem "gospel", o fermento dos fariseus continua tão venenoso quanto nos dias de Jesus (Mt 23:5-6; Lc 12:1).

 

Promover entretenimentos jamais será o mesmo que fazer a obra de Deus

 

A desculpa para o entretenimento é que este seria uma forma de atrair as pessoas. Mas a questão novamente é: que tipo de pessoas? Se o entretenimento fosse uma boa alternativa, não teria a igreja apostólica usado deste artifício para atrair as multidões? No entanto, ela simplesmente pregava o evangelho, porque sabia que nele há poder. O evangelho "é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê" (Rm 1:16). Mas o entretenimento é a artimanha do homem para a perdição de todo aquele que duvida.


Quero concluir com uma palavra aos pastores. De pastor, para pastor. Amado colega de ministério, não duvide do poder do evangelho para atrair e converter as pessoas. Não queira encher sua igreja com atividades vazias e atraentes ao mundo, mas que não tem o poder do Espírito Santo para converter vidas. Tenha coragem e limpe sua congregação desta imundície egocêntrica. Talvez com isto você perca alguns membros, mas não perderá ovelhas, somente bodes. Tenha fé em Deus e confie no modelo bíblico para encher a igreja, que é a oração, o bom testemunho e a pregação ousada do genuíno evangelho de Cristo. Lembre-se que "enquanto os homens procuram melhores métodos, Deus procura os melhores homens."

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!