Liderança: conduta e caráter

30/10/2013 00:46

 

 

“Jesus os chamou e disse:

Vocês sabem que os governantes das nações as dominam,

e as pessoas importantes exercem poder sobre elas.

Não será assim entre vocês. Ao contrário,

quem quiser tornar-se importante

entre vocês deverá ser servo,

e quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo.”

 (Mateus 20:25-27)

 

 

Frequentemente, em nossos dias, ouvimos comentários e críticas sobre a postura adotada por pessoas que exercem alguma função de liderança. Diversas destas condutas são legítimas. Por exemplo, Deus ordenou que homens governassem suas famílias, presbíteros guiassem igrejas, pais criassem filhos e autoridades regessem nações. Muitos, porém, almejam posições de liderança por motivos egoístas e ambiciosos, tornando-se líderes que prejudicam as pessoas por eles dominadas.

 

Lendo o livro de Números capítulo 16, fico impressionado com as posições de liderança apresentadas. Neste caso, os líderes legítimos, Moisés e Arão, foram criticados injustamente pelos israelitas, começando com parentes da tribo de Levi, que os acusaram de ter se exaltado sobre a congregação (16:3). Esta seria uma crítica válida sobre alguns líderes que exercem autoridade sobre igrejas sem ter as qualificações que Deus exige, no entanto, esse não foi o caso de Moisés e Arão.

 

Agora, vamos observar a conduta destes líderes:

 

Prostravam-se sobre seus rostos. Três vezes nesta história, Moisés e/ou Arão se prostraram diante do Senhor (16:4,22,45). Nos momentos críticos, a primeira reação de Moisés foi humildemente suplicar a Deus. Bons líderes precisam ser humildes, e precisam se dedicar à oração.

 

Esperavam diante de Deus. Eles se puseram perante o tabernáculo, junto com os outros envolvidos, para ouvir a determinação de Deus sobre o assunto (16:18). Bons líderes precisam ouvir o que Deus diz e aceitar suas determinações.

 

Em pé intercediam para proteger o povo. Arão correu e se colocou em pé entre os vivos e a morte que vinha por causa do pecado do povo (16:46-48). Esta parte da história mostra uma qualidade ausente em muitos que se consideram líderes hoje. Ao invés de brigar para se defender dos ataques feitos contra eles, Moisés e Arão se arriscaram para salvar as pessoas que os atacavam. Não foram motivados por ambição e egoísmo e, assim, eram bons líderes que amavam o povo de Deus.

 

Podemos aprender muito do exemplo destes servos fiéis. A liderança que agrada a Deus, nas diversas esferas das relações humanas, é sempre um serviço cumprido com humildade e com o amor que procura o bem das pessoas guiadas. Pessoas ambiciosas que querem destaque e honra não fazem parte dos planos de Deus. Jesus avisou sobre o perigo de pessoas que procuram sua própria exaltação, esquecendo que toda a honra e toda a glória pertencem ao Senhor (Mateus 23:6-12).

 

Hoje, precisamos de menos pessoas almejando cargos de destaque e de mais pessoas ocupando “posições” de serviço como fizeram Moisés e Arão.

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!