MEUS EUS

25/03/2012 18:24

 

Eu sou o auge escancarado do desequilibrado equilibrismo
Sou o utópico realismo que inibe o mistério mais evidente
Um sonhador latente e um lutador sem fundamentalismo
Hora me vejo com o ego em alpinismo, noutra sou estrela cadente!
 
Eu sou um contumaz propagador de impactos falados
Mas também sou versos calados e gritos emudecidos
Sou sentimentos proferidos, sou anelos censurados
Eu sou crimes flagrados e anarquismos reprimidos!
 
Eu sou o embaixador da suavidade despachando em palácio rude
Sou o ato sem atitude e por vezes festa sem canção
O lado intransigente da feliz negociação e a enfermidade da saúde
Que pede à imutabilidade que mude ao ver-se açude seco pela inundação!
 
Eu sou cordeiro em pele de lobo e a exalar voracidade
Mas também sou aquele fim de tarde que da penumbra nem reclama
Sou cinzas mais incendiárias que a chama e quem engana com a verdade
Sou contradições em cada metade, de uma totalidade que te ama!
 

Como sua alma avalia esse poema?

Nenhum comentário foi encontrado.

Novo comentário


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!