O INVEJOSO

09/12/2012 23:34

 

 

Penosa cruz é essa que agride os ombros do invejoso

Ter de atacar seu admirar mais ardoroso, sorrir com o âmago a sangrar

Fingir um construtivo criticar e não admitir seu pretender mais desejoso

Dizer até que sente nojo do que a sua incompetência adoraria alcançar!

 

 

Inveja é pretensão de ser capaz de ir além do que consegue

É o ego que concebe o plágio imaginário de suas irrealizações

Aponta imperfeições, quando o aplauso interior sua vaidade fere

A única ética que lhe concerne é honrar suas pobres criações!

 

 

O êxito alheio lhe fere mortalmente e seus ossos amargurados se quebram

Pois tudo que seus discursos renegam, em verdade seus anelos mendigam

Mas nem todos intrigam, posto que por vezes como amigos e fãs se revelam

E de tal forma sob máscaras se esmeram, que até nossos olhos duvidam!

 

 

Não deve ser fácil o ofício infeliz de um invejoso

Seu pensar tão jocoso não pode evitar seu final solitário

Não consegue ser páreo e nem mesmo escalar o patamar talentoso

Para si mesmo é mentiroso, um refém venenoso de um lodoso mundo imaginário!

 

 
 
"A casa predileta da inveja é o discurso humilde" (Reinaldo Ribeiro)
 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!