O sacrifício que agrada a Deus

07/09/2013 01:42

 

 

 “Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim.

Pela fé ele foi reconhecido como justo, quando Deus aprovou as suas ofertas.

Embora esteja morto, por meio da fé ainda fala”.

(Hebreus 11.4 )

 

 

Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício superior ao de Caim. Pela fé ele foi reconhecido como justo, quando Deus aprovou as suas ofertas.

 

 

Nossa crença é materializada por meio de obras, as quais exigem sacrifício, mortificação do “eu” para que a boa, perfeita e agradável vontade de Deus resplandeça sobre as nossas vidas. O amor insondável de Deus transforma-nos radicalmente. Receber a maravilhosa graça divina impacta nossas vidas de tal forma que somos impulsionados por gratidão e amor, a ofertar a Deus o nosso melhor.  Tornamo-nos filhos de Deus; logo, desejamos honrá-lo de todo nosso coração. “Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém” (Romanos 11.36).

 

 

Foi o que fez Abel ao ofertar as primeiras crias do seu rebanho” (Gênesis 4.1), entregou as primícias do que tinha de melhor e achou graça diante de Deus.

 

 

O valor de nossa  doação é proporcional ao tamanho do nosso amor e fé.

 

 

Como pastor, constantemente, ouço ou recebo mensagens em meu site de mulheres reclamando que seus maridos não lhe dão a devida atenção. Elas recebem deles apenas o resto do seu tempo. O marido trabalha, chega em casa, busca seu momento de lazer ou descanso e, com isso, o casal não dispõe de um tempo de qualidade. Infelizmente, fazemos o mesmo com Deus ao não entregarmos as nossas primícias, o nosso melhor. O nosso tempo é escasso na presença dele, a nossa dedicação, muitas vezes, não condiz com o nosso chamado.

 

 

O rei Davi, homem segundo o coração de Deus, nos ensina: “Não oferecerei ao Senhor, o meu Deus, holocaustos que não me custem nada” (2 Samuel 24.24). Caim, como agricultor, ofertou ao Senhor os “frutos da terra”, possivelmente o que restava de seus bens. Com isso, além de desagradar a Deus, ele se irou contra seu próprio irmão a ponto de cometer o primeiro homicídio do mundo. A oferta de Caim não visava honrar a Deus, por isso foi rejeitada. O Todo-Poderoso conhece as reais intenções de cada coração.

 

 

Já a fé de Abel o levou a entregar o melhor que tinha; sua realização foi transcendental, assim como tudo que fazemos no Reino tem repercussão não apenas terrena, mas eterna. A oferta de Abel prefigura o sacrifício que o Pai faria em favor da humanidade ao imolar o cordeiro de Deus que tira os pecados do mundo (João 1.29).

 

 

Por isso, os que vivem pela fé são justificados, recebem o perdão dos seus pecados e tornam-se justos aos olhos do Pai, por meio da morte substitutiva de Cristo na cruz. É a morte de Jesus a nos dar vida.

 

 

A oferta de Deus Pai, imolar seu único filho, Jesus Cristo, mudou a história e tem transformado a vida de milhões de pessoas. Ofertar na casa de Deus, se sacrificar para fazer a obra do Senhor produz legados eternos.

 

 

O tamanho de nossa oferta demonstra a dimensão do nosso amor e fé. Isso não é medido por virtudes humanas ou por quantidade de dinheiro, mas pela entrega plena de um coração capaz de doar-se em plenitude para Deus e Sua Obra.

 

 

Pela fé Abel ofereceu a Deus um sacrifício que ainda fala”. E quanto a você, qual é a sua oferta? Qual é seu o sacrifício?

 

 

 

 

Que tal ler outras

REFLEXÕES PASTORAIS?

( Clique AQUI )


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!