Quando a insistência torna-se virtude

09/06/2013 01:28

 

“E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer,

Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem.

Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo:

Faze-me justiça contra o meu adversário.

E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus,

nem respeito os homens,

Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte,

e me importune muito.

E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz.

E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite,

ainda que tardio para com eles?

Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem,

porventura achará fé na terra?”

(Lucas 18:1-8)

 

O evangelista Lucas narra de forma maravilhosa esta importante parábola proferida pelo Senhor Jesus. Ele, no entanto, não se limita apenas a narração, mas logo de inicio nos apresenta de forma clara e objetiva a lição que ela nos traz: Ele diz que se trata de: “uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer”.   

 

Os personagens desta parábola são uma pobre viúva e um juiz iníquo. A primeira tinha uma causa que só o segundo poderia dar solução, o segundo não demonstrava interesse algum em resolver tal causa, já a primeira não desiste de pedir-lhe para mudar de ideia.

 

Resultado: O segundo não suportou mais ser incomodado com tantas súplicas e deu-lhe o que ela tanto pedia.

 

Extrair a lição desta parábola agora é algo tremendamente simples: Se o tal juiz não resistiu o constante clamor daquela viúva e lhe atendeu, o mesmo ocorrerá conosco se não desistirmos quando clamamos a Deus por algo.

 

Um detalhe aqui, porém, nos anima ainda mais. Aquele juiz não era o que podemos chamar de um bom ser humano, ele simplesmente nem a Deus temia, nem respeitava o homem”mesmo assim a técnica empregada pela viúva funcionou com ele. Como não funcionaria com o Deus, que é amor?

 

Parece, entretanto, que até posso ouvir alguém dizendo:

 

- Então por que tantas orações feitas a Deus não são respondidas?

 

A bíblia nos fala de algumas possíveis causas para isto:

 

Orações mal feitas, carregadas de egoísmo“Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.”(Tiago 4:3)

 

Orações que estão fora da soberana vontade de Deus“E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.” (I João 5:14)

 

Orações desacompanhadas de féPeça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte. Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa.” (Tiago 1:6-7)

 

Agora se sua oração não é egoísta, não esta fora da vontade de Deus, se você não anda “profetizando” e “determinando” como se Deus fosse um funcionário a seu serviço e se, por fim, você tem orado com fé que Deus tem poder para operar em sua vida, então apenas mais uma coisa poderá impedir-lhe de receber a benção: se você desistir de clamar!

 

Nunca desista de suas orações e apresente sempre ao Deus do céu as suas suplicas, pois a Sua promessa continua sendo fiel e verdadeira: “Porque, aquele que pede, recebe; e, o que busca, encontra; e, ao que bate, abrir-se-lhe-á.” (Mateus 7:8)

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!