Que planos você tem para os seus inimigos?

19/03/2014 01:38

 

 

“abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis.”

(Romanos 12. 14)

 

Humanamente falando não há nada mais gostoso que ver os nossos inimigos se dando mal. Dar o troco a eles, ignorá-los, prejudicá-los, falar mal deles, devolver aquilo que nos fizeram com juros triplicados. Essa é uma atitude comum e quase instintiva de todos nós, quer sejamos crentes ou não.

 

A nossa forma lógica de estabelecer juízo sugere que se alguém nos prejudica de alguma forma, deverá sofrer por isso, e, se possível, que possamos sentir o doce gostinho da vingança em ação. Queremos rir, saborear a desgraça do inimigo que nos fez mal. Não é a toa que a vingança é tema recorrente na literatura, no teatro, na teledramaturgia, na terceira arte e temos até mesmo um hit gospel alardeando que a vingança “tem sabor de mel” (para a vergonha de todos que apreciam tal coisa).

 

Por isso, talvez uma das virtudes mais difíceis de ser praticada em todos os tempos seja a virtude de abençoar os inimigos. Muitos, mesmo sendo cristãos, parecem querer ignorar os vários versículos da Bíblia que falam sobre o tema, julgando ser algo impossível de se seguir.

 

Jesus abordou com profundidade o tema quando disse: “Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem” (Mateus 5. 44).Somente esta parte do texto já demonstra uma ordem clara e que deve ser cumprida.

 

No entanto, o Senhor Jesus aprofunda ainda mais o argumento para o mandamento: “Se vocês amarem aqueles que os amam, que recompensa receberão? Até os publicanos fazem isso! E se vocês saudarem apenas os seus irmãos, o que estarão fazendo de mais? Até os pagãos fazem isso!” (Mateus 5:46-47)

 

Fica claro que Deus deseja uma postura diferenciada da nossa parte com relação aos inimigos que temos. Jesus não deseja de nós uma postura igual à da maioria, mas uma postura que se destaque pela essência de uma ótica que parte dos céus e não de nossos humanos conceitos.

 

Não está escrito que seria uma postura fácil, mas está escrito que devemos tê-la. Sabemos que o amor é muito mais atitude que sentimento. Amar os inimigos seria algo impossível? Creio que não! Difícil sim, impossível não. Precisamos aprender a exercitar este tipo de amor em nossas vidas para com os nossos perseguidores, não porque seja prazeroso, (pois não é), mas porque adestra nossos corações para o bem e corresponde à vontade de Deus para nossas vidas.

 

O próprio Jesus não ficou apenas no discurso em relação a isso e pôs essa postura em prática no momento exato em que disse àqueles que estavam zombando Dele, que haviam cuspido Nele, batido Nele, desafiado a Sua autoridade (os seus inimigos naquele momento): “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo” (Lucas 23. 34).Jesus os amou e orou por eles, cumprindo a Sua própria ordem dada a nós e mostrando que é possível, mesmo quando estava pendurado em uma cruz, sangrando e sendo hostilizado, ter uma postura que fere a lógica das reações humanas, mas que agrada a Deus.

 

Isso nos faz pensar em como temos tratado a questão dos nossos inimigos. Que atitudes você tem tido com relação a eles?

 

E muito mais: que tipo de postura você passa a adotar de hoje em diante? Continuará sendo amável e carinhoso apenas com quem lhe afaga, lhe aplaude e lhe acaricia? (Lembrando que até os piores pecadores também são assim) Ou tomará a decisão que bombardear com flores todos os ataques de espinhos recebidos?

 

Sabedoria é optar pelo certo quando estamos divididos entre o fácil e o difícil!

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!