Tragédias e maldades provam a inexistência de Deus?

25/06/2014 11:33

 

 

Inácia Soares – Betim (MG)

 

Pastor Reinaldo, recentemente assisti um episódio muito triste e peço suas impressões. Estive no funeral de uma família inteira que morreu num drástico acidente de trânsito. Essa família era toda evangélica, pai, mãe e três filhos, um deles recém nascido. Havia muita consternação e revolta no lugar. Foi quando um parente ergueu a voz e passou a fazer uma espécie de discurso ateu. Ele disse que era um alerta a todos os que são enganados pela religião. Em resumo ele gritou em alta voz que Deus não existe e que se existisse não permitiria o mal e as tragédias, principalmente com crianças e pessoas que creem nEle. Ninguém ofereceu resposta. Todos se calaram. Mas aquilo me incomodou. Me diga pastor, o que pensar e como responder um  argumento desses?

 

Resposta

 

Prezada Inácia, antes de tudo agradeço por me enviar seu depoimento e sua pergunta. Acho que antes de tudo precisamos levar em consideração o estado emocional alterado desse familiar, que sob os efeitos de uma dor profunda, teve uma reação que até me parece compreensível. Quero crer que com os nervos no lugar, ele possa pensar de outra maneira.

 

No entanto, independente de situações adversas, há pessoas que de fato pensam assim, e como cristãos, precisamos ter uma resposta paciente, sábia e definitiva para lhes oferecer.

 

O problema do mal é um sério desafio à defesa do Cristianismo que os ateus/céticos gostam muito de atacar.
Se Deus é bom e quer nosso bem, por que Ele permite muitas pessoas "boas" e crianças morrerem de desastres naturais como furacões, terremotos, vulcões, enchentes, também assaltos, acidentes etc, e doenças causadas por bactérias, vírus, câncer etc??


É um tema vasto, mas vou resumir brevemente alguns tópicos:

 

1. Crianças que morrem vão direto para o céu, até uma certa idade - idade da razão.

 

2. Muitas dessas mortes também são de cristãos. Assim pode ser um meio do Senhor tomar os seus. No Salmo116 diz: "Preciosa é para o Senhor a morte de seus santos".

 

3. Neste mundo decadente, ninguém é inocente. As pestes, doenças assim como desastres naturais, são resultado direto da maldição sobre a criação por causa do pecado e soberba do homem. Por causa dessa corrupção inata e herdada, com a qual já nascemos, somos totalmente indispostos para com as coisas de Deus; até uma criancinha já é inclinada para o mal e desobediência, somos, por natureza, inimigos de Deus e, portanto, filhos da ira, sujeitos a condenação. É dessa natureza corrompida e orgulhosa que procedem os nossos pecados, as nossas transgressões, as nossas desobediências e as nossas revoltas contra Deus e Sua Palavra.

 

4. O livre-arbítrio de Adão e Eva e o nosso; trouxe esses sofrimentos da natureza a este mundo. O homem se corrompe, peca, destrói, contamina, mata e não quer pagar o preço, e ainda culpa a Deus por suas loucuras, tanto contra o mundo e contra o próximo.

 

Mas Deus criou as criaturas boas com uma qualidade chamada livre-escolha, e é bom ser livre, mas com a liberdade vem a possibilidade do mal, então Deus é responsável por tornar o mal possível, mas as criaturas livres são responsáveis por torná-lo REAL.


Por acaso seria justo forçar você, a crer em Deus? Jamais! Somente pelo seu próprio interesse de conhecê-Lo e segui-Lo é que se dá a forma justa disso ocorrer.

 

Se há uma coisa que Deus respeita, e muito, é nossa INDIVIDUALIDADE, somos livres, mas responsáveis por nossas próprias decisões. Ele só vai agir em nossas vidas se pedirmos Sua interferência, e Ele jamais passa por cima de nossa razão, pois nos deu tal capacidade para pesquisarmos e indagarmos. Não somos robôs e Ele nem quer isso. A Bíblia diz “Vinde e argui-me diz o Senhor”. E Ele não olha para nossa condição ou situação.

 

A onisciência de Deus representa apenas conhecimento, mas o AGIR DELE depende de nós.


E por que um Deus Perfeito não poderia punir? Dar liberdade à Suas criaturas é uma das características dessa Perfeição. O grau máximo de Perfeição é atingido quando criaturas livres o adorem em vontade própria e espontaneamente.

 

Porém, liberdade envolve responsabilidade. Não somos punidos neste mundo por desobedecer a certas leis, regras, padrões normativos? Seria justo deixar só você furar o sinal vermelho no trânsito, ou ir num Banco roubar dinheiro, ou ir numa loja, mercado e roubar sem pagar e sair impunemente?


Se sofremos consequências severas ao desobedecer autoridades constituídas dos homens; por que seria diferente da Autoridade Máxima do Universo?

 

O próprio Jesus profetizou o envio de catástrofes futuras sobre a raça humana, como castigos de Deus, próximos da vinda do Senhor, como: guerras, fomes, terremotos, perseguições, epidemias, pestes, pragas, doenças, entre outros (Mt 24, Lc 21, Ap 6).

 

5. O livre-arbítrio dos anjos maus e suas influências no mundo como satanás, explica o resto dos sofrimentos humanos.

 

6. Mas as tragédias servem para levar as pessoas a refletirem sobre sua condição e destino eterno nesta curta vida que todos sabem ter. Muitos têm encontrado Deus nos múltiplos caminhos do sofrimento a que todos nós estamos sujeitos.

 

E Deus sabendo da condição irreversível que o próprio homem se meteu; pelo seu Grande Amor nos dá a única chance de mudar essa condição de perdição, através da nova vida que somente o Homem-Deus - Jesus - nos dá de graça!

 


Assim, enquanto o homem está vivo, ainda há esperança. "...porque melhor é o cão vivo do que o leão morto." (Eclesiastes 9:4)

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!