Um dia de fúria

22/06/2013 20:57

 

Mensagem enviada por "Mulher Cansada" - Uberlândia (MG)

 

Querido Reinaldo, é muito bom poder visitar esse seu espaço de aconselhamento e perceber o quanto uma palavra sábia e amorosa pode ajudar as pessoas com os seus problemas. Isso me motivou a escrever para você e relatar minha situação. Me desculpe pelo anonimato mas a essas alturas tudo que eu não queria é uma nova confusão dentro de um clima que já está tendo em minha família.

 

Você deve conhecer pessoas que são extremamente calmas, a ponto dos outros confundirem as coisas e acharem que podem explorar sua bondade e sua mansidão. Eu sou uma dessas pessoas.

 

Sou filha de pais evangélicos e fui criada num lar cristão. Aprendi desde menina que deveria casar, respeitar meu marido e ser uma esposa calma, compreensiva e companheira. Confesso que por vários anos com muito esforço tenho feito isso.

 

Mas a soma de alguns acontecimentos me fizeram explodir. Ninguém acreditou que eu fosse capaz, mas acab oi acontecendo. Cansei de ser enganada. Cansei de ser explorada. Cansei de ser decepcionada e simplesmente explodi.

 

Acabei tendo um ataque de fúria. Perdi a noção. Falei coisas que nunca falo. Quebrei objetos e tratei meu marido com muita raiva. Também ofendi outras pessoas que tentaram acalmar os ânimos, magoando assim um grande número de pessoas.

 

Eu sei que tive motivos para me enfurecer. Mas o clima aqui está muito pesado e agora me pergunto se errei.

 

Preciso de uma palavra sua a esse respeito, sobre uma mulher calma e tranquila que um dia não aguenta e simplesmente explode num ataque de fúria. Será que desagradei a Deus? Obrigado.

 

RESPOSTA

 

Olá minha querida irmã. Antes de tudo quero agradecer a confiança depositada em nós e o apreço de sua parte pelo nosso trabalho. Que Deus lhe recompense por esse gesto de sincero apoio e carinho.

 

Eu não sou muito chegado a assistir filmes. E o fato de não possuir muito tempo, também contribui para que raramente eu me permita esse tipo de lazer.

Lembro-me de uma dessas raras ocasiões, onde assisti a um filme que me atraiu pelo título. Chamava-se “Um dia de fúria” Será que algum de meus leitores teve a oportunidade de assisti-lo? Quem o viu, certamente se lembra de um personagem que passou por momentos difíceis, que desencadearam uma série de atos de ira incontrolável. Talvez no mais profundo do nosso coração, gostaríamos de fazer algumas coisas semelhantes, quem sabe com a justificativa de descarregar a raiva. O certo é que, todos nós estamos à margem de dias semelhantes, talvez não tão intensos, mas com atitudes que ultrapassam nosso próprio controle.

 

Um famoso personagem bíblico também teve o seu dia de fúria - Moisés.

 

Em Números 20. 7-12 podemos visualizar esse episódio. Moisés, profundamente irritado, cansado, sem pensar com muita clareza tomou a atitude que lhe tirou o direito de entrar onde ele mais ansiava. Este homem manso perdeu a paciência e descarregou sua irritação no momento errado, quando e onde não poderia. Uma atitude precipitada comprometeu um histórico impecável. Como Moisés poderia se esquecer de tudo o que já havia acontecido, de tudo quanto o Senhor havia feito por seu intermédio? Como poderia se comprometer desse jeito?

Moisés, homem de Deus notável, conhecido por sua mansidão, passou por isso. Como poderíamos nós estar imunes a incorrer eventualmente no mesmo erro?

 

Em nossos dias passamos por todo tipo de situações e somos confrontados semanalmente. Experimentamos frustrações, raiva, desânimo, sentimentos que exercem uma força incrível sobre nós e em muitas ocasiões pressionam nossa mente de tal forma que nos levam a fazer ou falar coisas precipitadas e que geram resultados desagradáveis. O pior de tudo é desobedecer ao Senhor nesses momentos, o que, infelizmente, é fácil de acontecer. Esquecemo-nos de tudo quanto já aconteceu, de como o Senhor nosso Deus já nos usou, tratou, operou através de nossas vidas. O mesmo cajado que foi tão usado por Moisés em outros milagres, agora é instrumento da desobediência, era para falar e não para bater na rocha!

 

Deus determinou a Moisés que ele falasse à rocha, porém ele a feriu. Muitos fazem exatamente o mesmo, batem, ferem, por meio de palavras agressivas e ofensivas, quando uma simples conversa poderia solucionar o problema.

 

 

Você também está vivendo um drama sentimental? Também procura uma palavra amiga?

Mande sua história e dúvidas para: poetadoamor@reinaldoribeiro.net

Não esqueça de citar a cidade de onde fala. Identifique-se apenas se quiser.

 

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!