Você é Cristão ou Religioso?

27/08/2014 01:47

 

 

“Mas o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos,

alguns apostatarão da fé, dando ouvidos

a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios”

(I Timóteo 4:1)

 

 

Há uma infindável variedade de filosofias e ensinamentos religiosos, muitos dos quais parecem bem convincentes; contudo são frequentemente contraditórios. Como podemos determinar quais são os certos e quais os errados? Como podemos encontrar a verdade e evitar sermos enganados?

 

A Bíblia contém muitas advertências sobre o falso ensinamento e a possibilidade de engano. Mas as Escrituras também oferecem esperança. Em Colossenses 2:4, Paulo escreveu: “Assim digo para que ninguém vos engane com raciocínios falazes”. Paulo estava dando instruções sobre como o filho de Deus pode evitar ser desencaminhado por falsos ensinamentos. O que Paulo ensina em Colossenses nos ajuda a entender a verdade e vencer o labirinto desnorteador das religiões conflitantes.

 

A Grandeza de Cristo

 

O principal tema do livro de Colossenses é a importância de Jesus Cristo. No capítulo 1, Paulo escreveu sobre ele: “Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois, nele, foram criadas todas as cousas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dele e para ele. Ele é antes de todas as cousas. Nele, tudo subsiste. Ele é a cabeça do corpo, da Igreja. Ele é o princípio, o primogênito de entre os mortos, para em todas as cousas ter a primazia” (Colossenses 1:15-18). Cristo é tudo. Ele é nosso Senhor. A meta central e esperança do evangelho é que Cristo viva em nós (1:27).

 

No capítulo 2, Paulo mostra que a grandeza de Cristo é exclusiva. Todos os tesouros de sabedoria e de conhecimento estão em Cristo (2:3). Não há nenhuma verdade ou entendimento fora dele. A plenitude da divindade está em Cristo (2:9). Não há nenhuma parte da natureza e do ser de Deus que não esteja expressada em Jesus. Achamos nossa perfeição em Cristo (2:10). Nele está a circuncisão espiritual, o perdão e a nova vida (2:11-13). Quando morreu, Jesus tirou o poder das forças satânicas, ganhando sobre eles uma decisiva vitória (2:15). Jesus é a realidade à qual todas a leis, festas e símbolos do Velho Testamento apontavam (2:16-17). Todo o crescimento do corpo depende de Cristo, que é a cabeça (2:19). Qualquer busca da verdade, do entendimento, ou do crescimento espiritual fora de Cristo com certeza vai falhar.

 

O capítulo 3 continua a ressaltar a centralidade de Cristo: “Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as cousas lá do alto, onde Cristo vive, assentado à direita de Deus. Pensai nas cousas lá do alto, não nas que são aqui da terra; porque morrestes, e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo, em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então, vós também sereis manifestados com ele, em glória” (Colossenses 3:1-4). Tendo sido ressuscitados com Cristo, ele tem que se tornar nossa verdadeira vida. Cada relação na família e dentro da sociedade depende do Senhor Jesus (3:18-4:1). De fato: “Cristo é tudo em todos” (3:11).

 

Cristo possui toda a autoridade. Para entender a verdade e evitar a confusão, temos que ter uma forte convicção da supremacia de Cristo (2:2). Tudo o que Ele diz é absolutamente certo; tudo o mais é absolutamente inútil. Cristo é a vereda, a árvore, o edifício, a luz. Temos que caminhar nele, enraizarmo-nos nele, sermos edificados sobre ele e sermos ensinados por Ele (2:6-7). Uma única Palavra do Senhor tem mais valor do que uma tonelada de ideias e opiniões dos homens.

 

Aplicações

 

Paulo especificamente aplicava estes princípios. Ele até parece estar discutindo religião no Brasil dos anos atuais.

 

Filosofias humanas

 

“Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo” (Colossenses 2:8)

 

Muito ensinamento religioso de hoje em dia tem sua origem na sabedoria, tradições e superstições dos homens, não em Cristo. A fascinação sedutora do entendimento e da pesquisa humana é um dos principais apelos de religiões tais como a maçonaria, a rosacruz e o espiritismo. Até mesmo as ênfases dentro das religiões “cristãs” sobre poderes especiais associados com vários objetos santos, peregrinações a santuários e preces poderosas recitadas são apelos às tradições e filosofias dos homens. Se não é o que Cristo revelou, então é sem valor. A proteção contra o engano é perceber que em Cristo está todo o conhecimento e poder.

 

Religião que ressalta o poder do diabo: “E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz” (Colossenses 2:15).

 

Algumas igrejas esquecem a arrasadora vitória que Jesus teve sobre Satanás e suas forças, e terminam ressaltando o poder do diabo mais do que a grandeza de Cristo. Elas concebem fórmulas e meios humanos para tentar escapar da influência do diabo. Estes métodos parecem ajudar somente por curto tempo; o diabo continua retornando. Mas Cristo venceu Satanás. Que absurdo é para aqueles que receberam o benefício da vitória de Cristo, voltarem ao domínio daquelas forças que ele derrotou. Não existem fórmulas para curas, libertações ou quebras de maldições. Ninguém precisa participar de campanhas rituais, ou adquirir objetos ungidos e muito menos oferecer sacrifícios financeiros. A vitória contra todo mal consiste simplesmente em aceitar a Cristo como Senhor e Salvador e devotar aos céus um testemunho de sincera piedade e fé. Quem assim procede jamais será tocado pelo maligno.

 

Leis do Velho Testamento

 

“Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados, porque tudo isso tem sido sombra das cousas que haviam de vir; porém o corpo é de Cristo” (Colossenses 2:16-17)

 

Deus planejou as leis e as comemorações do Velho Testamento para serem sombras de Cristo. Agora temos a Cristo, que é a plenitude da divindade. Ele é a realidade. Retornar às sombras é tolice. Guardar dias, abdicar de alimentos ou quaisquer atos ligados à velha aliança é trocar a luz pela sombra, pois o judaísmo precisa ser cristianizado e não o oposto.

 

Visões, anjos e revelações

 

“Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado, sem motivo algum, na sua mente carnal” (Colossenses 2:18)

 

Quando entendemos que em Cristo está a perfeição, veremos claramente que nenhuma visão, nenhuma comunicação de um anjo ou de um espírito, e nenhuma revelação de um profeta moderno tem qualquer valor (veja Gálatas 1:6-9). As religiões frequentemente oferecem algo a mais para seduzir seus fiéis: É suficiente ter Jesus e Sua Palavra, mas o que muitos religiosos atuais priorizam são os acréscimo de uma profetisa como Ellen G. White, textos considerados sagrados como o livro de Mórmon, revistas como Sentinela das Testemunhas de Jeová ou as mensagens do mais recente autonomeado profeta, que pode ser encontrado em vários recintos neopentecostais espalhados pelo país, sobretudo aqueles que se acham submersos pelas perigosas heresias de movimentos como o G12/M12. Estes são “os raciocínios falazes”; dos quais devemos fugir. Cuidado!

 

Preceitos extras

 

“Se morrestes com Cristo para os rudimentos do mundo, por que, como se vivêsseis no mundo, vos sujeitais a ordenanças: não manuseies isto, não proves aquilo, não toques aquiloutro, segundo os preceitos e doutrinas dos homens? Pois que todas estas cousas, com o uso, se destroem. Tais cousas, com efeito, têm aparência de sabedoria, como culto de si mesmo, e de falsa humildade, e de rigor ascético; todavia, não têm valor algum contra a sensualidade” (Colossenses 2:20-23)

 

Paulo fala das tentativas para conseguir mais espiritualidade acrescentando preceitos e regulamentos humanos. Estas restrições ascéticas parecem ser sábias, mas são inúteis, porque se originam nos homens. As igrejas têm produzido centenas de preceitos, proibindo seus seguidores de participar de prazeres lícitos, na tentativa de evitar a contaminação pelo mundo.

 

Frequentemente estes preceitos parecem razoáveis. Algumas pessoas fazem dos esportes o seu deus, então as igrejas condenam toda a participação no futebol. Muitos programas de televisão são sensuais e violentos, assim fazem um pecado ter um aparelho de televisão em casa. Algumas calças compridas são sensuais, então passam um preceito que a mulher não pode usar calça comprida nenhuma. Algumas pessoas ressaltam exageradamente a aparência externa, por isso proíbem o uso de toda a pintura e joias. E a lista continua.

 

O que está acontecendo? Em vez de estarem satisfeitos com a perfeição em Cristo, as pessoas estão tentando ser “melhores” do que o ensinamento de Jesus. Quando os fariseus tentaram a mesma abordagem, eles encontraram a contundente reprovação do Senhor (Marcos 7:1-13; Mateus 15:1- 23). O que as igrejas aprenderam é que se torna mais fácil fazer com que as pessoas obedeçam a uma lista de regras humanas externas do que experimentar a transformação espiritual interna que Cristo exige. Mas os preceitos humanos não agradam a Deus, pois eles se propõem a fazer aquilo que só o Espírito Santo pode realizar no coração humano: a regeneração e o novo nascimento.

 

Cristo é Tudo em Todos!

 

A confusão religiosa é causada por uma confiança nas filosofias e doutrinas humanas. Essa confiança gera um sentimento arrogante de que somente determinada igreja possui a verdade e que as demais estão errantes. Nenhuma denominação religiosa é perfeita, pois todas foram fundadas por homens. Pertencer a uma igreja cristã é uma ótima decisão e é bom que todos se congreguem, mas isso não é o suficiente. O caminho para a verdade é Jesus e Sua Palavra. “Cristo é tudo em todos”. Tudo o mais é falácia inútil.

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!