Você é de fato um discípulo de Cristo?

09/11/2013 01:14

 

 

"Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue,

dia a dia tome a sua cruz e siga-me"

(Lucas 9:23)

 

 

Tudo que possui real valor impõe desafios e responsabilidades. Jesus apresenta esta verdade a qualquer homem que deseja servi-lo ou buscá-lo. Seguir após Jesus requer o desejo profundo e sincero de aceitá-lo como Salvador e principalmente como Senhor . essa decisão, todavia, é espontânea. Não somos coagidos. Os discípulos de Cristo são voluntários.

 

Ir após Jesus envolve um compromisso, que é afastar-se de toda ligação psicológica com o mundo e um reconhecimento das implicações, padrões e condições para submeter-se a Cristo e ser contado entre aqueles que estão em plena relação com Ele (Leia e reflita Lucas 14:27). Aqui, Jesus articula três conceitos básicos envolvidos em vir após Ele. Ninguém será aceito se recusar estas estipulações.

 

Negar-se a si mesmo

 

O discípulo de Cristo precisa negar-se a si mesmo. O seguidor de Cristo adota uma nova identidade. Ele põe-se totalmente à disposição de Jesus. Ele abandona e rejeita o eu como o objeto da vida e da ação. Ele não continua mais com os modos de pensar que elevam modelos egoístas e hipócritas de comportamento. Ele denuncia a confiança em si como a fonte da proteção e do cuidado providencial. "... não cabe ao homem determinar o seu caminho, nem ao que caminha o dirigir os seus passos" (Jeremias 10:23; veja também Provérbios 14:12). Com Paulo, poderíamos dizer, "Sim, deveras considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus meu Senhor ... para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria" (Filipenses 3:8-11).

 

A negação de si mesmo é repudiar, afastar-se da sua própria independência em favor de submissão a outro. Devemos dizer "sim" a Cristo e "não" ao eu. Isto significa estabelecer Jesus acima do eu. É mais do que dizer "não" a alguma coisa ou atividade pecaminosa. É dizer "não" à minha própria vontade. O cristão precisa desistir do seu ego, gratificação e aspiração. Paulo disse, "Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus que apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus" (Romanos 12:1-2).

 

Tomar a Cruz

 

O discípulo de Cristo precisa tomar a sua cruz. Jesus literalmente tomou sua cruz e carregou-a ao Gólgota. Isso foi o que Ele fez por nós. Isso foi seu propósito ao vir aqui. Que faremos por Ele? Nosso propósito pela vida será concentrado nEle? Desejamos sacrificarmo-nos por Ele? Desejamos aceitar uma vida cheia de cruzes, centrada em Cristo e crucificados com Ele (Romanos 6:6)? Se for assim, não serei eu mais quem vive, "mas Cristo é que vive em mim, e a vida que eu agora vivo na carne, vivo por fé no filho de Deus que me amou e deu a si mesmo por mim" (Gálatas 2:20; veja também 5:24; 6:14).

 

Tomamos figurativamente nossas cruzes quando nos comprometemos a sacrificar tudo pelo nosso Senhor e fazer disso nosso propósito para toda a vida. A discussão aqui não é sobre o sofrimento comum do homem. É sobre o compromisso e sacrifício por Cristo e sua causa. Trata-se de uma responsabilidade contínua. Temos que fazer isto diariamente. Isto não é sacrifício momentâneo; é doação indesistível de vida..

 

Seguir a Cristo

 

Jesus disse, “segue-me”. Aqui ele não estava chamando literalmente pessoas para viajar pelas poeirentas estradas da Galiléia com Ele. Alguns fariam isso, mas nem de todos isso foi exigido. O sentido é que todos deveriam imitá-lo, obedecê-lo e servi-lo.

 

Novamente, o verbo implica em busca contínua. Pedro disse que Jesus nos deixou como exemplo que deveríamos "seguir seus passos" (I Pedro 2:21). Sua autoridade está implícita no mandamento. Ele é o Guia, o Rei. A concordância com este encargo está necessariamente de acordo com os dois anteriores. Seguir a Cristo implica desistir do eu e iniciar o rumo próprio, um rumo de sacrifício, para a vida toda. Estamos dispostos a isso?

 

Desafie-se com o grande desafio que Jesus pôs diante de nós todos e pergunte ao seu próprio coração: “sou de fato um discípulo de Cristo?” veja bem...a pergunta não é se você frequenta uma igreja, se carrega um crucifixo no peito, se canta músicas evangélicas no banheiro ou se ornamenta sua estante com uma Bíblia. A pergunta é: você é de fato um discípulo de Cristo?

 

Mais do que perguntas, hoje é um dia de respostas e tomadas de decisão. Ande com Cristo e sejas feliz!

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!